REGULAMENTO

Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável
DISPOSIÇÕES GERAIS

Idealizado pela Organização Odebrecht, o Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável – Edição 2016 será atribuído aos ganhadores do concurso, conforme disposto no presente Regulamento.

O concurso tem como principais objetivos estimular a geração de conhecimento sobre temas relacionados à contribuição das engenharias, arquitetura e agronomia para o desenvolvimento sustentável e difundir tais conhecimentos junto à comunidade acadêmica brasileira e à sociedade em geral, inserindo-se em um amplo programa da Organização Odebrecht de relacionamento com as Instituições de Ensino Superior do Brasil.

O concurso é anual e tem como tema “Contribuições das Engenharias, Arquitetura e Agronomia para o Desenvolvimento Sustentável”, incentivando a geração de conhecimento e a formação de jovens profissionais com a visão da Sustentabilidade. Os projetos a serem apresentados no concurso deverão se orientar pelas seguintes nove (9) áreas de concentração:

Agronegócio - Tecnologias, processos, produtos e insumos que contribuam na sustentabilidade de toda a cadeia produtiva da cana-de-açúcar, incluindo alternativas de uso de subprodutos do processo, produção de biocombustíveis, biomonitoramento ambiental e oportunidades de desenvolvimento de mecanismos para avaliação e pagamento por serviços ambientais;

Ambiental - Saneamento ambiental, serviços ambientais na linha de água, efluentes e resíduos, reuso da água, recuperação de áreas degradadas;

Construções Navais - Construções de instalações e equipamentos onshore e offshore para a indústria de óleo e gás - soluções de engenharia/projetos, materiais, insumos com foco em sustentabilidade;

Defesa e Tecnologia - Tecnologia, produtos e sistemas em monitoramento, mapeamentos e levantamentos de informações, vigilância, comunicação, defesa e segurança aplicados a conhecimento e proteção de recursos naturais, territórios, ambientes marinhos e águas interiores, sistemas construídos e patrimônio físico e natural de regiões;

Empreendimentos Imobiliários – Edificações comerciais, empresariais, de serviços, residenciais e de turismo, conjuntos comerciais, residenciais, o uso de soluções e sistemas construtivos mais sustentáveis, novos materiais, reuso e economia de recursos e materiais, reciclagem, tecnologias limpas e renováveis (inclusive na operação do empreendimento), eficiência energética, redução de impactos associados às obras de engenharia;

Engenharia e Construção - Obras de infraestrutura em geral, instalações e complexos industriais, o uso de soluções e sistemas construtivos mais sustentáveis, novos materiais, reuso e economia de recursos e materiais, reciclagem, tecnologias limpas e renováveis, geração e uso de energia, energias renováveis, eficiência energética, redução de impactos associados às obras de engenharia, pesquisas em bioconstrução, integração dos pilares da sustentabilidade às soluções da engenharia e construção;

Mobilidade Urbana - Soluções e serviços para transportes e seus modais, incluindo rodovias, portos e logística (inclusive operação);

Petróleo e Gás - Serviços de operação, manutenção e apoio em exploração e produção de óleo e gás onshore e offshore – soluções de engenharia/projetos, materiais, insumos com foco em sustentabilidade;

Química - Tecnologia, processos, produtos e insumos mais sustentáveis na cadeia produtiva da química/petroquímica.

Os projetos serão analisados sob a ótica da viabilidade econômica, responsabilidade ambiental e inclusão social.

No Anexo I, em Disposições Finais, encontram-se algumas linhas de pesquisas sugeridas para o desenvolvimento dos projetos.

CRITÉRIOS DE PARTICIPAÇÃO

A participação no concurso poderá ser individual ou em grupo. Pelo menos 1 (um) dos integrantes do grupo deverá ser, obrigatoriamente, dos cursos de graduação em Engenharia (qualquer das engenharias), Arquitetura ou Agronomia no Brasil. No entanto, poderão ser convidados estudantes de outras graduações (humanas, exatas ou biológicas) para compor o grupo de autores, mesmo que sejam de diferentes Instituições de Ensino Superior. No caso de premiação, os recursos serão dirigidos à Instituição do professor orientador.

O projeto deverá contar, obrigatoriamente, com a orientação de 1 (um) professor da mesma Instituição de um dos integrantes do grupo de autores, sendo que o mesmo professor deverá estar, necessariamente, vinculado aos cursos de Engenharia, Arquitetura ou Agronomia (seja lecionando, conduzindo um projeto de pesquisa ou pertencendo a um dos respectivos departamentos. Um mesmo professor poderá orientar mais de um projeto em sua Instituição.

Poderão se inscrever estudantes universitários de graduação, de qualquer idade ou nacionalidade, que estiverem regularmente matriculados, em Instituições de Ensino Superior brasileiras reconhecidas pelo Ministério da Educação ou que tenham concluído a graduação entre de dezembro de 2015 e 17 de outubro de 2016.

Não há restrição quanto ao número de estudantes que irão compor o grupo de autores, mas todos deverão ser devidamente identificados até a data final do período de inscrição e entrega dos projetos (17 de outubro de 2016). No caso de premiação, os recursos serão divididos igualmente entre todos os autores.

É vedada a participação de alunos de pós-graduação, “stricto sensu” ou “lato sensu”.

É vedada a participação de parentes consanguíneos e afins até o terceiro grau civil, em linha reta ou colateral, dos membros das Comissões Julgadoras.

É vedada a participação de colaboradores que estejam vinculados aos Negócios da Organização Odebrecht, durante a vigência desta edição.

Os vencedores das edições anteriores do Prêmio Odebrecht poderão participar da Edição 2016 caso ainda estejam matriculados em um dos cursos mencionados acima. É vedada a entrega de projeto já premiado em concursos anteriores deste mesmo Prêmio.

Os participantes não vencedores de edições anteriores do presente Prêmio podem reinscrever seus projetos, desde que atualizados com evoluções significativas em relação à edição anterior (será necessário mencionar o ano desta participação no formulário de inscrição) ou podem inscrever com novos projetos.

Não há limite de quantidade de projetos a serem submetidos por um mesmo estudante ou grupo de estudantes.

PROJETO

O projeto deve ser, obrigatoriamente, de autoria de estudante(s) regularmente matriculado(s) e deverá conter os elementos de uma proposta de solução de engenharia, alternativa de solução tecnológica ou inovação que se mostre viável em sua execução, ou já com dados de testes ou de aplicação que demonstrem esta viabilidade. Os resultados não necessitam ser, obrigatoriamente, conclusivos, mas a proposta deve partir de uma ideia concreta devidamente fundamentada.

Para elaboração da dissertação do projeto, o(s) autor(es) deverá(ão) utilizar o editor de texto Word 2007, ou posterior. Gráficos, tabelas e planilhas, se houver, deverão ser feitos em Excel 2007, ou posterior, e inseridos no documento. A formatação das tabelas, planilhas e gráficos é de livre escolha. Não é permitida a inclusão de fotos (registro fotográfico) ou menções no projeto (título inclusive) que levem à identificação da autoria do trabalho ou de qualquer pessoa e de qualquer Instituição de Ensino Superior, mesmo que esta não esteja relacionada ao projeto em si, sob pena de desclassificação. São permitidas apenas imagens que representem ou ilustrem a ideia representada e que sejam de autoria dos próprios participantes, não infringindo direitos autorais de terceiros.

A dissertação do projeto deverá ser escrita no vernáculo, digitada em espaço dois ou duplo, corpo 12, fonte “Arial”, margens laterais, superiores e inferiores de 2,5 cm, apenas papel branco, tamanho A4 (210 mm x 297 mm), em uma face, com, no máximo, 25 linhas por página, contendo, no mínimo, 15 (quinze) e, no máximo, 21 (vinte e uma) páginas numeradas, incluindo capa, resumo, introdução, desenvolvimento, conclusões e resultados, referências bibliográficas, tabelas, gráficos, ilustrações, títulos, cabeçalhos, notas de rodapé e anexos. O Modelo de apresentação do projeto estará disponível para download no site do Prêmio.

Na capa do projeto deverão constar apenas os seguintes elementos de informação:

1. A identificação do concurso (Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável – Edição 2016)

2. O título do trabalho, o resumo do projeto e a área de concentração. O título é escolhido a exclusivo critério do(s) autor(es), deverá ser escrito na fonte “Arial”, corpo 14, em negrito. O resumo deverá ter no máximo 1.500 caracteres e deverá ser escrito na mesma fonte, corpo 12, sem negrito e espaçamento simples.

3. A área concentração em que se enquadra o projeto dentre as nove (9) áreas referidas no item “Disposições Gerais” deste Regulamento.

Os projetos não deverão conter agradecimentos ou informações que levem à identificação do(s) autor(es) e/ou o orientador e de qualquer Instituição de Ensino Superior, direta ou indiretamente. O descumprimento das orientações para o anonimato dos autores no corpo do projeto será motivo para desclassificação do projeto apresentado.

INSCRIÇÃO E ENTREGA DO PROJETO

O prazo para inscrição e envio do projeto se inicia em março de 2016 e se encerra em 17 de outubro de 2016.

A inscrição e o envio do projeto deverão, obrigatoriamente, ser feitos por meio do site http://premio.odebrecht.com/premio_brasil/

A inscrição e a postagem do projeto poderão ser feitas em momentos diferentes, até o prazo limite de inscrição (17 de outubro de 2016).

O projeto deverá ser enviado somente em arquivo eletrônico, formato Word, através do site supracitado. Sob nenhuma hipótese a Organização Odebrecht aceitará projeto impresso, enviado fora do prazo ou com formatação inadequada, como também não se responsabilizará por projeto enviado e não recebido por qualquer motivo, inclusive de ordem técnica.

A efetivação da inscrição implica na consequente aceitação de todas as disposições do presente Regulamento pelo(s) estudante(s) e orientador.

SELEÇÃO DOS PROJETOS

A seleção dos projetos será feita nas seguintes etapas:

1ª) Triagem, considerando o cumprimento dos quesitos de adequabilidade e formatação apontados no presente Regulamento.

2ª) Pré-seleção de até 15 (quinze) trabalhos pela Comissão Julgadora 1, composta por integrantes da Organização Odebrecht que, direta ou indiretamente, são ligados ao tema. A avaliação será baseada nos critérios de julgamento a serem mencionados no próximo item.

3ª) Certificação: solicitação de documentação adicional aos 15 projetos finalistas para validação. Os autores dos 15 projetos pré-selecionados receberão, oportunamente, e-mail da Equipe de Coordenação comunicando a necessidade de envio dos documentos e o prazo para atender à solicitação. Todos os documentos necessários estão detalhados abaixo.

4ª) Seleção final dos 05 (cinco) melhores projetos pela Comissão Julgadora 2, também composta por integrantes da Organização Odebrecht. A Comissão Julgadora 2 será composta por um mínimo de 05 (cinco) membros. A avaliação será baseada nos critérios de julgamento a serem mencionados no próximo item.

5ª) A ordem de classificação dos 05 (cinco) melhores projetos será feita pela Comissão Julgadora 3, composta por pessoas não pertencentes à Organização Odebrecht – Comissão Julgadora Externa. A classificação será baseada nos critérios de julgamento a serem mencionados no próximo item. Apenas o 1º colocado será distinguido durante a cerimônia de premiação. Não haverá classificação de colocação entre os demais ganhadores.

As Comissões Julgadoras são soberanas e de suas decisões não caberá recurso. As Comissões Julgadoras serão conhecidas somente após a divulgação dos resultados e dos vencedores.

O conteúdo de cada projeto também passará por avaliação de plágio. Caso sejam identificados trechos do projeto que caracterizem plágio, o mesmo será desclassificado automaticamente.

 

Recomendamos que, no ato da inscrição, os participantes já comecem a providenciar os documentos listados abaixo. Assim, caso sejam solicitados a apresentá-los na Etapa de Certificação, os documentos já estarão prontos para o envio.

Os projetos que não apresentarem adequadamente todos os documentos dentro do prazo estipulado não seguirão para a próxima etapa do processo de seleção.

Relação de documentos a serem solicitados aos 15 projetos pré-selecionados na Etapa de Certificação:

a) Declaração original da Instituição de Ensino Superior reconhecida pelo Ministério da Educação, contendo o período e o curso em que o(s) estudante(s) se encontra(m) regularmente matriculado(s), assinada por autoridade competente, emitida em papel timbrado do órgão emissor, devidamente datada e carimbada. Para aqueles alunos que tenham concluído a graduação entre dezembro de 2015 e 17 de outubro de 2016, enviar a declaração de conclusão de curso, assinada por autoridade competente, emitida em papel timbrado do órgão emissor, devidamente datada e carimbada ou cópia do diploma registrado em cartório;

b) Cópia legível do documento de identidade com foto do(s) autor(es) e professor orientador;

c) Cópia legível do CPF do(s) autor(es) e professor orientador;

d) Cópia legível do comprovante de residência, em nome do professor orientador e dos autor(es) (ou de seus responsáveis), que poderá ser conta de luz, água, telefone ou gás, emitidos ou expedidos até 3 meses antes da Etapa de Certificação;

e) Declaração de Responsabilidade, Cessão de Direitos e Autorização Prévia, assinada pelo(s) autor(es) do projeto (inclusive orientador), com firma reconhecida em Cartório;

f) Termo de autorização assinado pelo professor orientador, com firma reconhecida em Cartório, autorizando a divulgação do seu nome, imagem, voz e cadeira que ocupa ou disciplina que ministra na instituição de ensino vinculado ao projeto em questão.

Caso a Declaração de Responsabilidade, Cessão de Direitos e Autorização Prévia e o Termo de autorização do professor orientador sejam enviados sem firma reconhecida, o respectivo projeto será desclassificado.

Os documentos acima deverão ser enviados por correio, em envelope lacrado, dentro do prazo informado por e-mail pela Equipe de Coordenação na Etapa de Certificação, para:

Odebrecht
A/C Carla Vilela Almeida Jacinto 
Ref.: Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável 2016
Rua Lemos Monteiro, 120 – 16º andar 
Edifício Odebrecht São Paulo
Butantã
CEP 05501-050 – São Paulo – SP

 

Os estudantes que fizerem o trabalho em grupo deverão enviar suas documentações juntas em um só envelope.

O(s) estudante(s) que não apresentar(em) adequadamente todos os documentos mencionados nos itens “a”, “b”, “c”, “d”, “e” e “f” dentro do prazo estipulado não seguirá(ão) para a próxima etapa do processo de seleção.

CRITÉRIOS DE JULGAMENTO

O julgamento levará em consideração a contribuição do projeto para o desenvolvimento sustentável e terá como base o seu conteúdo, clareza, apresentação, fundamentação, profundidade, contribuição técnica, aplicabilidade e relevância, conforme segue:

Conteúdo – O projeto deve estar aderente aos principais pilares da sustentabilidade: economicamente viável, ambientalmente responsável e socialmente inclusivo.

Clareza e Apresentação – A dissertação do projeto deve estar de acordo com as especificações mencionadas neste Regulamento e escrita de maneira a facilitar o entendimento da proposta.

Fundamentação e Profundidade – A dissertação do projeto deve apresentar as bases nas quais o(s) autor(es) se apoia(am) para sustentar seu projeto.

Contribuição Técnica e Aplicabilidade – O projeto apresentado deve demonstrar viabilidade para implementação, mencionando especificamente aspectos de seu uso sob as óticas de adequação social, aplicação às demandas do País, aspectos econômicos e contribuição ao equilíbrio ambiental.

Relevância – O projeto trata de assunto ou contém proposta para tema relevante na agenda de sustentabilidade no País.

Os critérios mencionados acima têm pesos distintos:

CRITÉRIOS PESO
Conteúdo 20%
Clareza e Apresentação 10%
Fundamentação e Profundidade 20%
Contribuição Técnica e Aplicabilidade 30%
Relevância 20%

Os membros das Comissões Julgadoras atribuirão, a cada um, notas de 0.00 a 4.00. Os projetos que tiverem média inferior a 40% da nota máxima serão automaticamente desclassificados.

PREMIAÇÃO

Serão premiados os 5 (cinco) melhores projetos, desde que atendam aos critérios estabelecidos neste Regulamento. Cada projeto receberá o seguinte prêmio:

• Prêmio no valor bruto de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) para o estudante/grupo de estudantes;

• Prêmio no valor bruto de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) para o professor orientador;

• Prêmio no valor bruto de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) para a Instituição de Ensino Superior, a qual deverá direcionar estes recursos para a linha de pesquisa do professor orientador do projeto selecionado em forma de patrocínio ou apoio como, por exemplo, programas de oferta de bolsas de estudo pela Instituição ou para aquisição de equipamentos, livros e/ou materiais. Em ambos os casos, a Instituição deverá fornecer à Organização Odebrecht uma declaração com a destinação dos recursos recebidos, no prazo de 180 dias úteis após a data da cerimônia de premiação.

Será outorgada menção honrosa à Instituição de Ensino Superior que contar com o maior número de trabalhos qualificados na edição vigente, após realizada a etapa de triagem. A IES já premiada não poderá ser novamente premiada por um período de três anos.

Os autores dos projetos premiados serão, ainda, indicados para possíveis oportunidades de estágio ou programa de trainee nos Negócios da Organização Odebrecht, bem como convidados a participar de uma comunidade virtual de vencedores de todas as edições deste Prêmio.

Também poderão ser outorgadas menções honrosas a critério da coordenação do Prêmio a outros projetos, cujos autores, professores orientadores e instituições receberão certificados emitidos pela Organização Odebrecht.

Os projetos premiados serão publicados em livro comemorativo ao Prêmio, sendo que será fornecido um exemplar para cada um dos participantes do concurso e às instituições de ensino envolvidas, sem prejuízo da Organização Odebrecht poder fornecer exemplares a terceiros não vinculados ao concurso, seja de forma gratuita ou onerosa.

Os valores dos respectivos prêmios estarão sujeitos à incidência, dedução e retenção de impostos, conforme legislação em vigor, por ocasião da data de pagamento dos prêmios, previsto para até 90 (noventa) dias úteis após a data da cerimônia de premiação.

Os prêmios aos autores, professores orientadores e instituições de ensino serão pagos em cheque ou depósito em conta corrente ou de outra forma que venha ser determinada pela Organização Odebrecht.

Se nenhum dos projetos avaliados pela Comissão Julgadora 2 atingir a pontuação mínima definida no item Critérios de Julgamento, a Organização Odebrecht se reserva o direito de não conferir a premiação a nenhum dos projetos apresentados.

Após a premiação, caso seja constatado algum descumprimento, por parte dos projetos premiados, a alguma das condições estabelecidas neste Regulamento, a Organização Odebrecht se reserva o direito de solicitar a devolução do prêmio já pago ao(s) autor(es), orientador(es) e universidade(s).

RESULTADO E CERIMÔNIA DE PREMIAÇÃO

Serão convidados à cerimônia de premiação:

- Os autores dos cinco projetos premiados;

- Os professores orientadores dos cinco projetos premiados;

- Os representantes das cinco instituições de ensino premiadas.

Cada um dos vencedores, professores orientadores e representantes das instituições de ensino, terão direito a levar 01(um) acompanhante à cerimônia de premiação.

A Odebrecht arcará com as despesas de deslocamento e hospedagem dos premiados e seus acompanhantes, nas seguintes condições:

- 02 (duas) diárias de hotel e 02 (duas) passagens aéreas (ida e retorno), limitadas ao território nacional, exclusivamente para os domiciliados fora do município onde será realizada a cerimônia de premiação;

- Os trechos de origem e destino (ida e retorno), serão definidos de acordo com a cidade da instituição de ensino ou a cidade mais próxima, que possua aeroporto;

A data de embarque ao destino, deverá ser um dia anterior à cerimônia de premiação e o retorno, na data posterior.

Será concedido 1 (um) convite adicional, para a cerimônia de premiação, para cada autor, orientador e representante da instituição de ensino, porém sem direito a passagem aérea e estadia.

CRONOGRAMA PREVISTO PARA O CONCURSO

Este cronograma poderá ser alterado a exclusivo critério da Organização Odebrecht. Quaisquer mudanças serão comunicadas no site www.premioodebrecht.com/brasil.

Março de 2016 – 17 de outubro de 2016 – Divulgação do Prêmio, inscrição e envio (upload) dos projetos por meio do site.

25 de outubro – 19 de dezembro de 2016 – Avaliação dos projetos (Comissão Julgadora 1, Certificação, Comissão Julgadora 2 e Comissão Julgadora 3).

2ª Quinzena de Dezembro de 2016 – Divulgação dos resultados dos 5 (cinco) trabalhos vencedores.

Março de 2017 – Cerimônia de premiação.

DISPOSIÇÕES FINAIS

Os projetos encaminhados para a participação no Prêmio Odebrecht para o Desenvolvimento Sustentável – Edição 2016 não serão devolvidos, independentemente de terem ou não sido premiados.

Os projetos a serem publicados no livro comemorativo do Prêmio Odebrecht terão seus direitos de uso cedidos gratuitamente à Organização Odebrecht, que poderá publicar e reproduzir a totalidade ou parte da obra, em qualquer época e a seu critério, por qualquer meio de comunicação (eletrônico ou impresso) ou idioma, desde que citado(s) os autor(es), conforme consta na Declaração de Responsabilidade, Cessão de Direitos e Autorização Prévia.

Os projetos selecionados para compor o livro comemorativo do Prêmio Odebrecht apenas poderão ser divulgados por seus respectivos autores em outras publicações, após a impressão do livro em questão.

O(s) estudante(es) é(são) responsável(eis) pela autoria do projeto e por eventuais plágios ou infringências aos direitos autorais de terceiros.

A Coordenação Técnica do concurso está a cargo da Área de Sustentabilidade da Organização Odebrecht, que julgará os casos omissos a este Regulamento.

Eventuais dúvidas sobre o concurso poderão ser dirimidas pelo endereço eletrônico premioodebrecht@odebrecht.com.

Anexo I

Para a área de Engenharia e Construção, sugerimos as seguintes linhas de pesquisa relacionadas ao tema “Sustentabilidade”:

• Uso de concreto com baixo consumo de cimento e elevada resistência;
• Tecnologias inovadoras para o uso de água servidas para a confecção de concreto;
• Criação de indicadores de sustentabilidade para obras de infraestruturas;
• Uso de nanotecnologia para a confecção de concretos;
• Estratégias para racionalização do consumo de água em canteiros de obras de infraestrutura.

Para a área de Química, sugerimos as seguintes linhas de pesquisa relacionadas ao tema “Sustentabilidade”:

• Bio-refinarias;
• Novas tecnologias para produção de etanol (exemplo: etanol a partir de resíduos);
• Desenvolvimento e produção de produtos com base renovável. Exemplos:
­ - bio-compositos utilizando poliolefinas
­ - copolímeros de etileno e grupos polares de origem renovável
­ - blendas reativas de poliolefinas utilizando agentes compatibilizantes de origem natural
­ - materiais híbridos para "self healing“
• Desenvolvimento de aplicações de polímeros que tragam benefícios ambientais ou sociais e/ou que produzam embalagens ativas;
• Desenvolvimento de processos químicos ou petroquímicos que aumentem sua eficiência energética, hídrica ou carbônica (catálise, processos de separação, craqueamento, transporte etc.);
• Desenvolvimento de processos para captura ou uso de CO2;
• Desenvolvimento de tecnologias de reciclagem de plástico (mecânica, energética ou química).

Para a área de Agronegócio, sugerimos as seguintes linhas de pesquisa relacionadas ao tema “Sustentabilidade”:

• Monitoramento no campo e agricultura de precisão, análise de dados por sistemas computacionais para aumentar previsão de produtividade de cana;
• Melhoramento genético de cana, novos sistemas de mudas para plantio;
• Gerenciamento de sistemas de irrigação, disponibilidade hídrica do solo;
• Tecnologias inovadoras no âmbito da fermentação - novos processos, melhoria de rendimento, leveduras otimizadas;
• Agregação de valor - novos produtos oriundos da produção de etanol, açucares, aproveitamento de resíduos, aproveitamento de biomassa, vinhaça, levedura de descarte, químicos renováveis;
• Balanço de energia no processo industrial.

Para a área de Ambiental, sugerimos as seguintes linhas de pesquisa relacionadas ao tema “Sustentabilidade”:

Setor de óleo e gás
• Tratamento e valorização das borras oriundas do processo de refino de petróleo;
• Valorização da água gerado no processo de extração de petróleo;
• Reaproveitamento dos resíduos sólidos do processo de extração de petróleo.

Resíduos urbanos

• Aproveitamento energético dos resíduos sólidos urbanos
• Aproveitamento dos resíduos urbanos como matéria-prima
• Aproveitamento do resíduo sólido urbano como combustível para indústria cimenteira

Resíduos industriais

• Desenvolvimento de rotas comerciais para valorização de resíduos industriais
• Extração e valorização de metais em resíduos sólidos industriais
• Aproveitamento e valorização de lodos e ETEs e ETAs

Água – para uso urbano

• Reuso de água
• Processos para potabilidade de água de esgoto
• Tecnologias para controle e redução das perdas físicas de água
• Incentivos para racionalização do consumo de água
• Desenvolvimento de rotas para aumento da efetividade de conexão de usuários em sistemas de esgotamento sanitário implantados em áreas já urbanizadas
• Desenvolvimento de rotas para detecção e supressão de ligações clandestinas de água
• Tecnologias de Georreferenciamento aplicadas à gestão de sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário

Energia

• Desenvolvimento de rotas alternativas para utilização de energia alternativa no tratamento de águas e efluentes
• Desenvolvimento de rotas para geração de energia ou utilização de resíduos como fonte alternativa de energia
• Automação de sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário visando a redução do consumo de energia elétrica
• Redução da infiltração e da contribuição pluvial em sistemas de esgotamento sanitário Ação Social e Meio Ambiente
• Desenvolvimento de ações mitigadoras de impactos ambientais de obras de implantação de sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário
• Programas Socioambientais voltados à educação ambiental e à mobilização das comunidades afetadas
• Programas Socioambientais voltados a redução da inadimplência

Para a área de Óleo e Gás, sugerimos as seguintes linhas de pesquisa relacionadas ao tema “Sustentabilidade”:

Novas tecnologias em:

• Perfuração de poços (offshore e onshore);
• Plataformas de Produção (FPSO);
• Lançamento de Linhas submarinas;
• Manutenção de Ativos (offshore e onshore).

DOWNLOAD REGULAMENTO

DOWNLOAD DO REGULAMENTO EM FORMATO PDF

Clique aqui para fazer o download do regulamento completo em formato pdf.